12 de set de 2012

É possível acabar com o bullying???

Dia desses toquei nesse assunto um tanto triste e difícil, principalmente para mim, uma mãe que sofre demais ao ver o filho sendo vitima de bullying (falei sobre isso nesse post AQUI!).
Hoje volto a falar sobre ele, mas com o coração um pouco mais leve.
Ontem participei de uma palestra no Colégio dos meus filhos, com o Dr. Alexandre Rivero, Psicólogo e Pedagogo, especializado em comportamento infantil, cujo tema era justamente esse: BULLYING.
Antes de entrar no assunto específico tao bem detalhado pelo Dr. Alexandre, gostaria de deixar aqui minhas impressões sobre a palestra.
Foto que tirei do Dr. Alexandre Rivero iniciando a palestra sobre bullying.
Quando cheguei, o auditório estava um pouco vazio. Cheguei a tirar uma foto tamanha a decepçao pois pensei: Será que ninguém comparecerá para ouvir sobre um assunto tao relevante?
Mas eis que o tempo passou e o teatro do Colégio começou a ficar lotado, com maes, pais, crianças, professores e diretores da escola. E graças a deus eu estava enganada: a maioria que estava ali realmente tinha muito interesse sobre o assunto!
Alguns pontos importantes que o Dr. Alexandre Rivero explicitou na sua palestra:
- Em primeiro lugar, é preciso definir o que é bullying. Todo mundo durante a vida, irá passar por algum tipo de frustração junto a um grupo de pessoas. Alguém, inevitavelmente, vez ou outra, irá lhe ofender, xingar ou lhe magoar. Isso não é bullying. Bullying é a violência tanto física quanto verbal dirigida a uma pessoa, expondo uma característica da mesma, como aparência, status social, religião, raça, etc... feita de forma continua, insistente e prolongada. E esse tipo de comportamento, em sua maioria, é feito às escondidas, porque o bule, o agressor, tem essa caracteristica de "mascarar"seus atos violentos. Portanto a escola, educadores e pais tem a tarefa de prestar atençao em alguns comportamentos que a vitima apresenta e o próprio agressor demonstra. Ou seja, é preciso resgatar o olhar atento da família sobre a criança e também retornar esse olhar ao ambiente escolar.
- Identificado o bullying, o agressor e a vitima devem ser amparados e socorridos por pais, educadores, psicólogos e escola! isso porque o bullying deixa marcas irreversiveis tanto em quem sofre quanto em quem pratica! É preciso lembrar que o agressor também será alguem, no futuro, comprometido com sua formação de caráter pois alguem que pratica bullying é alguem que também precisa de ajuda!
- Não é possível evitar que o bullying ocorra mas é possível barrar a continuidade dele! E isso só poderá ser feito se houver uma união entre escola e família. Pais devem estar atentos ao comportamento dos filhos pois quem é vitima de bullying silencia e quem pratica a violência, camufla o comportamento de agressividade. E, quando descoberto, não se pode negar jamais uma atitude!
- Toda criança e todo jovem, por mais independente e liberal que seja, necessita da figura da autoridade e espera dessa autoridade uma atitude que interrompa o processo de violencia. As crianças esperam que pais ou professores, ao saberem do que lhes acontece, possam agir a seu favor.  
Achei incrível essa observaçao do Dr. Alexandre pois percebi, no meu filho, que quando tomamos conhecimento do que ele sofria e decidimos ajuda-lo de várias maneiras, expondo escola, amigos, professores, etc... ele ficou mais calmo e seguro diante das agressões que sofreu.
Digo sofreu porque aconteceu algo muito bom com o Thiago! Ele se sentiu auto confiante para enfrentar o menino que o atingia com o bullying e o tal garoto admitiu o erro e pediu desculpas para o meu filho. Hoje mesmo, ao buscá-lo na escola, vi os dois, entre papos e risadas, 
conversando, como velhos amigos!
Fiquei extremamente feliz com isso!
Portanto, pais e educadores, a maior lição que aprendi na palestra do Dr. Alexandre Rivero foi que sem a união e o esforço continuo de pais, mestres, profissionais da saúde e sociedade em barrar o bullying, infelizmente ele aumentara ainda mais!
Beijos
Pin It Now!

11 comentários:

Alessandra Alves disse...

EXCELENTE a posição da escola em buscar um profissional para esclarecer as dúvidas. Mais FANTÁSTICO ainda foi a postura do seu filho! Até eu fiquei orgulhosa dele.
Parabéns!
Beijos!

lilian vieira disse...

Oi Lola,a escola do meu filho também teve uma palestra sobre bullyng, e meu filho está passando com um psicologo ,pois ele é frequentemente vitima,na escola,no futebol,estes dias até eu tive que intervir em treino de futebol,pois não acho certo a postura do professor em achar normal,é amiga não é fácil ter filho gordinho,não é?mas pior ainda é ter pais, que não ensinam seus filhos,que ninguém é igual,bjos.

Sandra Lima disse...

O apoio é mesmo fundamental Lola!
No meu caso, só resolveu quando fui à polícia e prestei queixa.
Ainda bem que as coisas se resolveram de forma mais fácil com o seu filho. E que continue assim!
Beijos

Mamãe Nádia disse...

Adorei o tema abordado...vou repassar teu post por email pras minhas colegas da escola.
Em breve terei uma BIG novidade lá no meu blog!! Estou ansiosa pra contar, mas tenho que guardar segredo por enquanto...
Em breve novas aventuras da mamãe Nádia e seus meninos!!
www.mamaenadia.com
Beijos!!

Telma Maciel disse...

Lola, mto bom! Acho q a escola em que está a Sofia tem pecado em MUITAS coisas e precisava encontrar alguém pra ir lá e fazer uma palestra como essa tbm... problema é q parece q as escolas nem ligam... Ou preferem ignorar os problemas. Ta complicado!
ADOREI os pontos q vc colocou a partir da palestra! E q bom q o auditório ficou cheio!!
Bjks

Adriana Balreira disse...

Lola,
Legal essa atitude da escola dos seus filhos em abordar um assunto tão delicado e sério. E que bom que teve audiência. Pelo menos mostra que todos tem interesse no caso. E que não é fácil. Só sabe mesmo como sofre quem está perto como é seu caso. Mas como vc mesmo colocou, a autoridade de vcs em tomar conhecimento do caso já deu forças ao seu filho para ele enfrentar de frente o problema.
Beijos
Adriana

Eu que fiz... ou quase isso disse...

Lola fiquei muito contente com a palestra na escola e mais ainda com a atitude do seu filho e do outro garoto...
Bjs

Gélia

luallessi disse...

Acredito ser super necessário essa discussão nas escolas, mas presta atenção:

"Bullying é a violência tanto física quanto verbal dirigida a uma pessoa, expondo uma característica da mesma, como aparência, status social, religião, raça, etc... feita de forma continua, insistente e prolongada".

Mas,um exemplo: o Faustão não faz isso com os gordos e carecas, TODO domingo pela TV? E os pais que estão aconselhando os filhos a não praticarem Bullying não assistem e riem, e seus filhos assistem e riem junto com eles? E depois dizem aos filhos que na escola não devem rir do colega gordo?

A teoria tem sido muito discutida, mas se filhos aprendem com exemplos dentro de casa, Faustão devia ser proibido de zombar das pessoas, devia ser processado por humilhar pessoas.
E quanto pai que vive dizendo pro filho não praticar Bullying na escola com os coleguinhas não estava naquele estádio vendo jogo de vôlei e chamando o jogador de bicha?

Verdade é que muuuito pai está indo a palestras por obrigação e está aconselhando o filho a não ser preconceituoso só pra não ter que ir na escola porque o filho praticou Bullying com um coleguinha.

Não querem ter aborrecimento.

Ana disse...

Poxa que bacana isso.
Legal saber que a união de pais e colégio num esforço continuo poderá amenizar e quem sabe acabar com esse tipo de coisa chata.
Fica o exemplo não só para as crianças, mas para os pais e adultos.
Fiquei muito contente por voce viu!

Beijão

Cris disse...

Muito bacana a iniciativa da escola. E um tema para ser levado a serio e discutido sempre! Bjos!!

Alexandre Rivero disse...

Abraço Lola. Parabéns pelo Blog! Alexandre Rivero